Inicial / Tech / CFO da Huawei mostrou desejo de se demitir antes de prisão em dezembro de 2018 – Jurídico

CFO da Huawei mostrou desejo de se demitir antes de prisão em dezembro de 2018 – Jurídico

Tudo sobre

Huawei



Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais


Meng Wanzhou, CFO da Huawei que foi presa em dezembro de 2018 no aeroporto de Vancouver, no Canadá, estava se sentindo estressada com a posição que ocupava na fabricante chinesa, considerando inclusive renunciá-la para procurar emprego em outro lugar. A afirmação acima foi feita por Ren Zhengfei, fundador da Huawei e pai de Meng.

Segundo o executivo, a prisão sofrida por Wanzhou melhorou o relacionamento entre ela, o pai e a Huawei, e ela agora se sente mais confortável: “Ela não estava nada feliz trabalhando aqui mas, após ter sido presa, as coisas melhoraram e agora ela compreende o quão difícil a vida pode ser”, ele disse em entrevista à emissora canadense CTV, por telefone. Ele ainda reforça as afirmações passadas, de que a prisão da filha foi “politicamente motivada” e que ela “não cometeu nenhum crime”.

Wanzhou foi libertada do regime fechado após pagamento de fiança no valor de US$ 7,5 milhões no mesmo mês, mas é mantida em prisão domiciliar enquanto a corte americana, que fez o pedido de prisão original, decide se persegue o caso de extradição para julgamento fora da China, onde a Huawei mantém sede, no distrito de Shenzhen.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Meng Wanzhou é CFO da Huawei e filha do fundador da empresa

Meng é acusada de ter participado em negociações envolvendo a venda de equipamentos de telecomunicações da Huawei para o Irã, após o país sofrer sanções políticas e econômicas pedidas pelos Estados Unidos. Durante uma escala em uma viagem internacional, as autoridades canadenses apreenderam a executiva, executando uma ordem da justiça estadunidense.

Em 1º de março deste ano, o governo canadense alegou ter evidências suficientes contra a executiva e anunciou que continuará a perseguição do caso e buscar a extradição dela em conjunto com a justiça dos EUA, estremecendo ainda mais a relação dos dois países com a China.

Fonte: CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

[=]

Veja também!

Solucionando problemas antes que eles ocorram – Negócios

Em meio ao desafio da concorrência progressiva nos mais diversos mercados e segmentos, as empresas …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: